Como é gratificante o trabalho ser reconhecido, e nem sempre poder ser acompanhado ou coroado com uma grande conquista, mas com uma boa caminhada sempre será bem recompensado.

Tenho muita admiração pelo América Futebol Clube de Minas Gerais, além de possuir um estádio maravilhoso Raimundo Sampaio popularmente conhecido como Independência (têm equipes tradicionais da Série A que não possui estádio) também possui dirigentes comprometidos com o clube.

A maior dificuldade do clube nos últimos anos teria sido após o sucesso da série A do brasileiro a permanência na elite (quadro no final).

É notável a dificuldade de manter no elenco as revelações, e isto tem impactado sensivelmente, mas não tem sido apenas este problema no Coelho.

Mas tem notado a solidificação do trabalho exercido já alguns anos no clube na Copa do Brasil de 2020, a equipe foi eliminada nas semifinais pelo Palmeiras que foi o campeão da competição e no estadual de 2021 foi vice campeão com investimentos modestos comparando ao campeão Atlético.

A excelente campanha na Copa do Brasil e no estadual fortaleceu a equipe no brasileirão da série A, pois, era necessário romper a fase ioiô do clube.

No brasileirão do ano passado, após iniciar mal a competição até com indícios que o pior estaria por vir com um novo rebaixamento, Lisca deixa o comando técnico assumindo Vagner Mancini, conseguindo dar dinâmica para o clube despertando interesse do Grêmio FPA e com sua saída os dirigentes trouxeram Marquinhos Santos.

Após campanha inédita no brasileirão o Coelho classificou para pré libertadores surpreendendo Santos, Internacional , São Paulo e o rebaixado Grêmio.

Inicia a saga do Coelho após ter sido melhor contra o Guarani do Paraguai e foi surpreendido e derrotado por 1x0 no Independência.

Pior no Paraguai após estar perdendo por 2x0 conseguiu virada histórica por 3x2 e a classificação nos pênaltis para enfrentar a equipe do Barcelona do Equador, visando classificação para a fase de grupos da Copa Libertadores.

Apesar da excelente campanha de 2021, o América como em anos anteriores perdeu jogadores importantes como Ademir para O Atlético-MG, Eduardo Bauermann para o Santos, Mauro Zarate para o Juventude, Fabricio Daniel retornou ao Mirassol e Matheus Cavichioli no DM.

O América manteve a espinha dorsal da equipe e terá mais um enorme desafio contra o Barcelona e visando a permanência no brasileiro que se inicia em abril.

Independente de qual será a performance na pré e na possível fase de grupo da Libertadores e no Brasileirão, todo o sucesso para o Coelho.

Image alt
Gil Cipriano
O futebol jogado em todo lugar, de Fernandópolis até a Europa

Recomendadas para você