Um é hexacampeão mundial, o outro é bicampeão. Não se trata de aventureiros. Sempre que um fernandopolense foi aos EUA participar do Mundial de Powerlifting – Levantamento de Peso-, eles voltaram com a medalha de ouro? Mesmo assim o currículo e o desejo de representar a cidade brasileira de Fernandópolis, assim como todo o país, não foi suficiente para que eles conseguissem ter as despesas custeadas pela Prefeitura da cidade.

No requerimento, a procuradoria jurídica cita que “os atletas foram convocados para representar o Brasil e não o município”.

Indignado Aparecido Júnior questionou no desabafo: “será que Fernandópolis não fica no Brasil?”.

Ironia a parte, o que mais deixa o atleta indignado, é o fato de quem tanto fez pelo esporte fernandopolense ficar no ostracismo.

Num texto emocionante ele desabafou e lembrou tudo que já fez pelo esporte fernandopolense abrindo mão de receber mensalidade de atletas de todos os esportes, além de ajudar pessoas com deficiência e jovens da Fundação Casa.

O desabafo do campeão

"No dia 27 de julho de 1987 me matriculei pela primeira vez em uma Academia, a antiga Boa Forma que ficava localizada no CPP, nas dependências do clube..

E, desse dia em diante, jamais parei. A não ser por algumas lesões pelo treino pesado e intenso.

Em 1990 comecei no mundo das competições de supino, e em 2007 nas competições de Levantamento Terra. Até hoje continuo no mundo das competições nacionais e internacionais sempre levando o nome de minha academia (Movimento) e da cidade.

Fiz várias ações sociais, cedendo a academia gratuitamente para atletas de vários esportes. O time de Futebol da cidade, o FFC do presidente JESUS MORETTI, que ficou um bom tempo treinando aqui. O time de futebol de salão do Bozó, o BASKETE do “Mão” e também do professor Diguinho, a equipe de vôlei da cidade, os meninos da fundação casa, do professor Rubão, a APADAF...

E todos sem custo algum, isso mesmo, ninguém pagou nada, a intenção foi sempre ajudar.

Viajei o Brasil para competir sempre levando o nome de Fernandópolis e a bandeira comigo. E com toda a equipe o nome da cidade hoje é reconhecida BRASIL a fora.

E em todas as competições que participei sempre foi com recurso próprio, isso mesmo, dinheiro do bolso ou de alguns comerciantes e amigos que nos ajudam.

A prefeitura municipal juntamente com os vereadores nunca nos ajudou nem com ônibus com nada.

Fomos convocados para representar o Brasil, é Fernandopolis no Texas, Estados Unidos, e o pedido foi negado pela prefeitura.

O departamento de esportes da cidade não conseguiu nos encaixar em um projeto ou algo parecido.

Disseram que precisamos nos adequar à lei. Mas somos atletas e representamos a cidade, não somos advogados para poder nos adequarmos. Quem tem o dever de nos ajudar são vocês do departamento de esportes.

Fico indignado com o que escreveram no parecer do processo da prefeitura. Nos autos consta que “os aludidos atletas foram convocados pela IPA para representar o Brasil e não o município de Fernandópolis”.

Será que Fernandópolis não fica no BRASIL?