Após os sorteios dos grupos para a Copa do Mundo do Catar, as perguntas não são muito diferentes: qual é o grupo da morte? Que seleção teve sorte? O grupo melindroso?

Uma cosia é certa o abismo só tem aumentado nos últimos 20 anos entre as conquistas europeias e sul-americanas, após a conquista do pentacampeonato pelo Brasil em 2002 as seleções do nosso continente não conseguem repetir o feito pela nossa seleção.

Pior só tem aumentado as conquistas europeias atualmente 12 contra 09 sul-americanas e o retrospecto das semifinais tem sido vergonhoso para nós latinos.

Antes de entrar na essência dos confrontos, no final de março a FIFA divulgou o ranking de seleções, onde, o Brasil superou a Bélgica conquistando a liderança e entre as 10 melhores ranqueadas apenas 02 sul-americanas com o Brasil em 1º e Argentina em 04 lugar. Já tivemos mais seleções latinas entre as 10 melhores.

Momento vivenciado entre Europa x América do Sul, a partir de 2006 não conseguimos e temos muita dificuldade de barrar a hegemonia do velho continente nas semifinais, perceba: 2006 na Alemanha as seleções da Itália, França, Alemanha e Portugal, 2010 na África do Sul classificaram Espanha, Holanda, Alemanha e Uruguai. No Brasil em 2014 as seleções da Alemanha, Argentina, Holanda e Brasil e finalmente em 2018 na Rússia classificaram França, Croácia, Bélgica e Inglaterra (mantendo a ordem da classificação final).

Portanto em quatro mundiais entre as melhores seleções tivemos 13 europeias e 03 sul-americanas e com Argentina em 2014, obtendo a melhor performance com o vice campeonato, enquanto Uruguai e Brasil terminaram na quarta posição.

Diante do exposto e temendo o pior, ou seja, a consolidação e ampliação da superioridade europeia, Alejandro Dominguez presidente da Confederação Sul Americana de Futebol, Conmebol, irá premiar a seleção sul-americana caso for campeã da Copa do Mundo do Catar com USD 10 milhões (aproximadamente 50 milhões de reais) apesar de não ter deixado claro que seria devido a hegemonia nos últimos anos das seleções europeias.

A Federação Internacional de Futebol, FIFA, além dos R$ 6,7 milhões destinados a cada seleção como auxilio à preparação, premiará a seleção campeã na Copa com R$ 196 milhões.

Mesmo com esta motivação ($) cifras consideradas atrativas, qual seleção sul-americana conseguirá romper a hegemonia do velho continente? Analisando os grupos de Brasil, Argentina, Equador, Uruguai e caso se passar pela repescagem Peru terá alguma possiblidade de conquista? Importante analisar os adversários da década projetando até a final.

Portanto, esperar para ver mas as possiblidades são muito difíceis devido aos investimentos, estrutura e organização dos nossos adversários considerados favoritos europeus. Resta esperar qual será a seleção do nosso continente que poderá ter a melhor performance.

Gil Cipriano
O futebol jogado em todo lugar, de Fernandópolis até a Europa

Recomendadas para você